Financiamento Logo Patrocinadores Oficiais
Cidade de Mogi das Cruzes
Data: 21/09/2011
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Município de Mogi das Cruzes
"Mogi"
Fotos da cidade

Fotos da cidade
Bandeira de Mogi das Cruzes
Brasão de Mogi das Cruzes
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 1° de setembro
Fundação 1 de setembro de 1560 (451 anos)
Gentílico mogiano ou mogicruzense
Lema Bandeirantes Gens Mea
"Procedo dos Bandeirantes"
Prefeito(a) Marco Aurélio Bertaiolli (PSD)
(20092012)
Localização
Localização de Mogi das Cruzes
Localização em São Paulo
Mogi das Cruzes está localizado na Brasil
Localização no Brasil
23° 31 22" S 46° 11 16" O23° 31 22" S 46° 11 16" O
Unidade federativa São Paulo
Mesorregião Metropolitana de São Paulo IBGE/2008 [1]
Microrregião Mogi das Cruzes IBGE/2008 [1]
Região metropolitana São Paulo
Municípios limítrofes Santa Isabel (N e O), Guararema (N), Arujá (N e L), Itaquaquecetuba (L), Biritiba-Mirim, Santo André (O e S), Bertioga, Santos e Suzano (S)
Distância até a capital 63 km[2]
Características geográficas
Área 714,156 km² [3]
População 387 241 hab. (SP: 13º) – Censo IBGE/2010[4]
Densidade 542,24 hab./km²
Altitude 780 m
Clima subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH 0,801 elevado PNUD/2000 [5]
PIB R$ 6 708 697,789 mil (BR: 70º) – IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 18 064,63 IBGE/2008[6]

Mogi das Cruzes é um município brasileiro do estado de São Paulo, na região metropolitana da capital do estado. A população em 2010 segundo o Censo demográfico é de 387.241 habitantes, o que resulta em uma densidade demográfica de 533,90 hab/km².[4]

Topônimo

Segundo as normas ortográficas vigentes da língua portuguesa este topônimo deveria ser grafado Moji pois prescreve-se o uso da letra "j" para a grafia de palavras de origem tupi-guarani. O nome vem do tupi MBoiji (ou MBoîj), Rio das Cobras (referindo-se ao Tietê, o qual em seu alto curso cruza o município). Ao longo dos anos, a grafia MBoijy foi alterada para Boigy, depois para Mogy, Mogi e finalmente para Moji.

Na ortografia da língua portuguesa, prescreve-se o uso da letra "j" para palavras de origem tupi-guarani. Assim, tanto o dicionário Houaiss como o IBGE usam a grafia Moji. Historicamente, no entanto, o uso mais comum, apoiado pela administração pública e pela imprensa é Mogi para o nome da cidade. Dois outros municípios que usam o nome de Mogi são Mogi Guaçu e Mogi Mirim.

Entretanto, por se tratar de topônimo com tradição histórica secular e uso consagrado pelos brasileiros, a grafia com "G" é a correta, assim como "Sergipe", de acordo com a norma ortográfica vigente em sua Base XI.

Base XI - Nomes Próprios: regras do Formulário para aportuguesamentos e nomes próprios. Ressalva ao direito de manter a grafia original dos nomes próprios de pessoas e empresas. Exceção feita aos topônimos de tradição histórica, tais como "Bahia".

História

Obra de Debret mostrando soldados oriundos da cidade em combate.

Mogi das Cruzes começou como um povoado, por volta de 1560, servindo como um ponto de repouso aos bandeirantes e exploradores indo e vindo de São Paulo, entre eles Brás Cubas. Gaspar Vaz Guedes foi responsável pela abertura da primeira estrada entre à Capital e Mogi, iniciando o povoado, posteriormente elevado à "Vila", com o nome "Vila de SantAna de Mogi Mirim".[7] O fato foi oficializado em 1º de setembro de 1611. Em 13 de março de 1865 foi elevada à cidade, e em 14 de Abril de 1874 à comarca.

Mogi das Cruzes acolhe colônias de todos os cantos do mundo, com destaque especial para a colonização japonesa, com uma grande quantidade de japoneses e seus descendentes (aproximadamente 8% segundo a prefeitura), que já estão em sua terceira geração no município. Além disso, o município possui uma considerável população nordestina, sendo que a maioria veio para Capital e depois mudaram-se para Mogi das Cruzes em busca de qualidade de vida.[8][9]

Geografia

Mogi das Cruzes situa-se a uma altitude média de 780 metros. Seu ponto mais alto é o pico do Urubu, localizado na serra do Itapety. O município é cortado por duas serras: a serra do Mar e a serra do Itapety e ainda pelo rio Tietê. Em seu território se encontram duas represas que fazem parte do Sistema Produtor do Alto Tietê, os reservatórios de Taiaçupeba e do rio Jundiaí.

O clima do município, como em toda a Região Metropolitana de São Paulo, é o subtropical. Verão pouco quente e chuvoso. Inverno ameno e subseco. A média de temperatura anual gira em torno dos 20°C, sendo o mês mais frio julho (média de 15°C) e o mais quente fevereiro (média de 23°C). O índice pluviométrico anual fica em torno de 1.300 mm.

Localização

Mogi das Cruzes está situada na região leste da Grande São Paulo, no Alto Tietê. O ponto de referência é o marco zero, um obelisco instalado na Praça Coronel Almeida, em frente à Igreja Matriz Catedral SantAna.

Os limites são Santa Isabel a noroeste e norte, Guararema a nordeste, Biritiba-Mirim a leste, Bertioga e Santos a sul, Santo André a sudoeste, Suzano a sudoeste e oeste, Itaquaquecetuba a oeste e Arujá a noroeste.

Após a capital, Mogi das Cruzes é o maior município em área da Grande São Paulo, com 725 km².

Demografia

(Fonte: IPEADATA)

Etnia

Cor/RaçaPercentagem
Branca 52,1%
Negra 4,2%
Parda 28,8%
Amarela 14,8%
Indígena 0,1%

Fonte: IBGE

Vista panorâmica de Mogi das Cruzes a partir da Serra do Itapety.
Vista panorâmica de Mogi das Cruzes a partir da Serra do Itapety.

Transportes

Trens

O município é servido pelos trens da Linha 11 da CPTM da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e conta com quatro estações ferroviárias:

Ônibus

Atualmente duas empresas operam o sistema de ônibus urbano municipal, a CS Brasil e a Princesa do Norte, no Sistema Integrado Mogiano, o SIM, que é uma integração tarifária entre as linhas, através de um cartão eletrônico e dois terminais urbanos, o Terminal Central, que se interliga a Estação Mogi das Cruzes da CPTM e o Terminal Estudantes, que fica próximo da estação de mesmo nome, também da CPTM e das Universidades da cidade.

Também faz parte da Area 4 da EMTU, com o Consórcio Unileste, com linhas intermunicipais, que liga a cidade com as demais cidades da região do Alto Tietê e com a capital.

Há ainda os ônibus rodoviários que partem do Terminal Rodoviário Geraldo Scavone, para a capital e litoral, além de outros estados.

Rodovias

O município é cortado e servido pelas seguintes rodovias estaduais:

  • SP-39 Estrada das Varinhas (Rodovia Engenheiro Cândido do Rego Chaves);
  • SP-43 Estrada da Quinta Divisão;
  • SP-66 Estrada Velha São Paulo-Rio e Mogi-Guararema (Rodovia Henrique Eroles);
  • SP-70 Rodovia Ayrton Senna;
  • SP-88 Mogi-Dutra (Rodovia Pedro Eroles) e Mogi-Salesópolis (Rodovia Prof. Alfredo Rolim de Moura);
  • SP-98 Mogi-Bertioga (Rodovia Dom Paulo Rolim Loureiro);
  • SP-102 Rodovia Prefeito Francisco Ribeiro Nogueira.

Principais vias

  • Avenida Ricieri Jose Marcatto
Trecho da Avenida Vereador Narciso Yague Guimarães
  • Avenida Brasil
  • Avenida Francisco Ferreira Lopes
  • Avenida Francisco Rodrigues Filho
  • Avenida Henrique Eroles
  • Avenida Henrique Peres
  • Avenida Japão
  • Avenida João XXIII
  • Avenida Narciso Yague Guimarães
  • Avenida Voluntário Fernando Pinheiro Franco
  • Avenida Yoshitero Onishi
  • Rua Coronel Cardoso de Siqueira
  • Rua Doutor Deodato Wertheimer
  • Rua Ipiranga
  • Rua Coronel Souza Franco
  • Rua Ricardo Vilela

Educação

Mogi das Cruzes conta com duas universidades de grande porte, a Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) e a Universidade Brás Cubas (UBC), duas faculdades (Clube Náutico Mogiano e Instituto de Filosofia e Teologia Paulo VI), uma unidade de educação a distância da Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, e um campus da Faculdade de Tecnologia de Mogi das Cruzes, sendo esta última vinculada ao Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza.[11]

Em relação ao ensino técnico, a cidade abriga diversas escolas técnicas particulares e a ETEC Presidente Vargas, vinculada ao Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, foi fundada em 1948 e em funcionamento desde 1957.

Em relação ao ensino básico (ensino fundamental e ensino médio), de acordo como o Ministério da Educação, entre as dez escolas com médias mais elevadas do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) da Região do Alto Tietê, cinco estão no município – incluindo a que conquistou o primeiro lugar entre as instituições do primeiro ciclo do ensino fundamental (1ª a 4ª série), a Escola Municipal Professor Jair Rocha Batalha, que obteve nota 6,5 em uma escala de 0 a 10. A nota coloca a escola entre as poucas do país com qualidade de escola de país desenvolvido. Para entrar neste seleto grupo, uma escola deve obter uma nota maior ou igual a 6 no IDEB.[12]

Saneamento básico

Levantamento pelo instituto Trata Brasil, com base nos dados fornecidos pelo Ministério das Cidades mostram que o município de Mogi das Cruzes tem o 9ª melhor sistema de saneamento básico entre os 79 municípios brasileiros com mais de 300.000 habitantes. O município tem 96% de atendimento de água e 91% de atendimento de esgoto. Não é a primeira vez que o município por meio do SEMAE (Serviço Municipal de Águas e Esgotos de Mogi das Cruzes) ocupa uma boa posição nesse quesito, Mogi das Cruzes ocupou a 10ª posição em 2004 nessa mesma pesquisa.[13]

Economia

Shopping em Mogi das Cruzes.

Mogi das Cruzes tem uma economia muito diversificada. Temos uma agricultura muito forte: é o maior polo produtor de hortaliças, cogumelos, caqui, orquídeas e nêsperas do Brasil. Por outro lado é uma cidade que vive uma expansão industrial forte, temos 891 indústrias na cidade, entre elas a General Motors (GM), a Valtra controlada pela AGCO Corporation, que é a maior fabricante de tratores agrícolas do Brasil, e a Gerdau. O setor industrial emprega 20 mil pessoas . No setor de serviços temos 21 mil pessoas empregadas e temos duas das maiores empresas de telemarketing do País, a Tivit e a Contractor, que empregam mais de 5 mil pessoas. No comércio temos 7.200 estabelecimentos comerciais e 17 mil pessoas empregadas.

A nossa economia tem crescido 5% ao ano. Isso acontece exatamente pelo número de empresas que estão se instalando na cidade e por termos uma economia tão variada, que não permite que entremos em crise. Tem dia que a agricultura não vai tão bem, mas a indústria vai bem e isso gera esse crescimento, o nosso orçamento cresceu mais de 10% do ano passado para este. Temos 20 empresas em construção, 13 estão elaborando projetos, 13 empresas incubadas e duas estão em tramitação dentro da prefeitura. Ao todo são 48 empresas que devem gerar 8.035 empregos diretos.

No espaço de 15 milhões de metros quadrados a prefeitura oferece incentivos fiscais, que variam de acordo com o faturamento e geração de empregos do empreendimento e já abriga 35 indústrias, entre elas a GM Motors e a Kimberly Clark.

Turismo

Mogi das Cruzes tem notável potencial turístico, um levantamento feito pela prefeitura constatou que o município tem cinco atrações turísticas: Pico do Urubu (Serra do Itapeti), Parque Centenário (César de Souza), Parque Leon Feffer (Brás Cubas), Pedreira de Sabaúna e a Represa do Rio Jundiaí (Taiaçupeba). São locais de conhecimento dos habitantes locais, mas que não foram devidamente explorados.[14]

Além dessas atrações naturais e parques, Mogi das Cruzes conta desde 13 de junho de 2009 com um "Expresso Turístico". Trata-se de uma locomotiva da CPTM que puxa dois vagões fabricados na década de 1960, entre as estações da Luz e Mogi das Cruzes.[15]

Arte e cultura

Igrejas do Carmo, ordens primeira e terceira

Mogi das Cruzes possui produção cultural nas mais variadas vertentes artísticas. Possui dois teatros municipais: o Theatro Vasques, inaugurado em 1902 e recentemente restaurado, localizado no Largo do Carmo, e o Teatro Dr. Bóris Grinberg, inaugurado em 2007, localizado no bairro Nova Mogilar.

O "Salão da Primavera" - exposição artística de quadros sobre o tema - é um dos mais antigos da região. São diversas academias de dança, companhias teatrais, músicos, pintores, fotógrafos, escritores.

Também é da cidade o grupo teatral mais antigo da Região do Alto Tietê, o "TEM - Teatro Experimental Mogiano" fundado em 1965, onde atuou Ricardo Blat.

O cartunista Maurício de Sousa, apesar de nascido no município vizinho de Santa Isabel, iniciou sua produção artística durante o período em que morou em Mogi das Cruzes, produções estas distribuídas nos veículos de mídia do município e da região. Vários de seus personagens mais famosos foram inspirados em habitantes de Mogi das Cruzes.

Além disso, existe em Mogi das Cruzes uma antiga música para orquestra e coro composta no Brasil. Trata-se da Ladainha de Nossa Senhora Aparecida, composta por Faustino Xavier do Prado, mestre-de-capela da igreja do Carmo de Mogi das Cruzes, no início do século XVIII (entre 1725 e 1740).

Seguindo essa tradição musical, há em Mogi, atualmente, uma banda sinfônica e uma orquetra sinfônica: a Banda Sinfônica Jovem Mario Portes, que tem como regente o maestro Daniel Bordignon; e a Orquestra Sinfônica de Mogi das Cruzes, que tem como regente o maestro Marcelo Jardim.

O CECAP - Centro Cultural Antônio do Pinhal fundado em 15 de dezembro de 2006, desenvolve um conjunto de atividades artísticas culturais, onde oferece gratuitamente o Curso de História da Arte do Século XX, que resgata a história da arte e o artista mogiano.

Esportes

Em 2011, pela primeira vez, o município de Mogi das Cruzes sediará os Jogos Abertos do Interior de São Paulo de 2011. O evento deve reunir mais de 15 mil atletas profissionais e amadores.[16]

A cidade foi pré-selecionada para sediar os Centros de Treinamento das Seleções para a Copa do Mundo FIFA de 2014.[17]

Cidade-irmãJapão Toyama, Japão

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista. Página visitada em 26 de janeiro de 2011.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. a b Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  7. Prefeitura Municipal de Mogi das Cruzes
  8. Mogi News - Mogi: a terra de todos os mogianos
  9. Mogi News - Entidade preserva raízes nordestinas
  10. [http://www.censo2010.ibge.gov.br/primeiros_dados_divulgados/index.php?uf=35
  11. Mogi News - Aulas na Fatec de Mogi começam na segunda
  12. Mogi News - Ideb divulga ranking da qualidade de ensino
  13. Mogi News - Mogi é a 9ª melhor do brasil em saneamento
  14. Mogi News - Pesquisa revela cinco pontos turísticos
  15. Mogi News - Expresso Turístico trouxe duas mil pessoas a Mogi em seis meses
  16. Mogi das Cruzes sediará Jogos Abertos do Interior em 2011. Portal do Governo de São Paulo.
  17. Mogi das Cruzes é pré-selecionada para receber seleções durante a Copa do Mundo.

Patrocínio
App Ticket
banner vertical
Bunkyo - Associação Cultural de Mogi das Cruzes
Rua Presidente Campos Sales, 230
Vila Industrial • Mogi das Cruzes • SP
CEP 08770-210
Telefone : (11) 3907-8829
E-mail secretaria Bunkyo:
bunkyo.mogidascruzes@gmail.com
Imprensa: Linha Fina Assessoria de Imprensa
Jornalista responsável: Carla Ortiz
Telefones:
(11) 2758-8018
(11) 97543-5784
9832-1542 (Tim)
E-mail: linhafina@linhafina.com
BUNKYO ▪ Associação Cultural de Mogi das Cruzes ▪ Todos os direitos reservados. Proibida a cópia total ou parcial sem prévio aviso.

Desenvolvimento: